quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Saudades

Saudades de um tempo onde as coisas eram mais simples, onde eu podia ser eu.
Onde a alegria do ser era só o que importava.

Saudades do tempo... que tempo... não lembro mais de que tempo era esse, só lembro da agitação
da correria, do mormaço gerado pela escravidão do ter.

Cadê o ser, cadê o pensar, só vejo pesar.

"Roda-moinho, roda pião o tempo rodou num instante", já dizia o poeta

Saudades de um tempo onde eu imaginava que seria... e me pego pensando, nem sei o que fui...

O tempo voou nas asas do pássaro gigante que batia suas asas tão rapidamente, que nem deu tempo de eu me despedir de mim....